O fato de uma pessoa que já pegou o coronavírus (Covid-19) poder tomar a futura vacina é uma dúvida bastante comum entre as pessoas. Alguns, inclusive, possuem um certo receio em tomar a vacina sendo que já tiveram a doença, acreditando que já estão imunes pelo resto da vida.

Dessa forma, por mais que não haja uma resposta exata sobre esse tema, é algo que deve ser pensado e discutido. Afinal, diversas vacinas estão sendo desenvolvidas ao redor do mundo, e elas podem chegar ao nosso alcance a qualquer momento.

Portanto, nesse artigo, falaremos se quem já pegou o coronavírus se beneficiaria da vacina e em quais cenários isso seria possível. Nesse sentido, por mais que a vacina ainda não tenha saído, todo e qualquer tipo de informação verídica sobre a doença deve ser divulgada. Vem com a gente!

Pessoas que já pegaram a doença se beneficiarão com a vacina?

Apesar de ainda ser uma suposição até o momento, tudo indica que sim, essas pessoas poderão beneficiar-se da vacina. Tudo dependerá do público-alvo estipulado pela campanha de vacinação.

A grande questão é que ainda não se sabe se alguém que adquiriu a Covid-19 obteria imunidade com o passar do tempo. Ou seja, o sistema até pode ficar protegido por um tempo, mas ainda é incerto a duração exata desse processo.

Outro ponto que devemos levar em consideração é a variedade das vacinas distribuídas. Ainda não se sabe se uma promoverá uma imunidade mais potente do que a outra, e isso só será respondido com pesquisas futuras.

Quem pegou a doença não pega novamente?

Segundo Gregory Poland, médico americano da Clínica Mayo, a maior parte dos infectados desenvolvem um certo grau de proteção, ao menos no curto prazo.

O médico afirma que alguém que pega o vírus é capaz de desenvolver anticorpos. Porém, não se sabe ao certo por quanto tempo essa proteção dura.

Além disso, é importante lembrar que essa é uma doença nova para os pesquisadores, e muitas perguntas sobre o vírus ainda não foram respondidas.

Quem seria o público-alvo das campanhas de vacinação

Quando as campanhas de vacinação tiverem início, é possível que haja uma preferência entre pessoas que nunca entraram em contato com o vírus, devido aos anticorpos dos infectados.

Entretanto, sabemos que na prática não é tão simples identificar quem teve ou não a doença. Por isso, provavelmente o histórico de contaminação não será levado em consideração.

Além do mais, não sabemos se a vacina deverá ser tomada de tempos em tempos, assim como ocorre com a gripe.

Nesse sentido, muito provavelmente a vacina será priorizada para profissionais de saúde, professores ou pessoas que fazem parte do grupo de risco. A lógica seria vacinar preferencialmente aqueles que mais tem contato com o vírus.

Conclusão

Como foi visto no artigo acima, a dúvida de tomar ou não a vacina pode ser bem comum entre as pessoas. Os especialistas afirmam que não há perigo algum caso uma pessoa infectada receba a dose, já que o nosso sistema é preparado pra isso.

A grande questão será saber sobre o público-alvo das campanhas de vacinação, além de alguns grupos de pessoas que provavelmente serão priorizados, como os idosos e os profissionais de saúde, que trabalham na linha de frente combatendo a doença.

E aí, gostou de saber mais sobre esse assunto? Então aproveite para ler outros textos no blog da Vacine.me e não esqueça de deixar a sua opinião abaixo.

Crie sua carteira de vacinação virtual

A melhor forma de manter a carteira de vacinação de toda família atualizada e acessível de onde você estiver é trocando seu tradicional formato impresso pelo online. Com o aplicativo Vacine.me isso ficou bem mais simples, porque através dele é possível criar carteiras de vacinação virtuais para você e seus familiares e ainda agendar as vacinas que estiverem em atraso para serem aplicadas na segurança da sua casa!

Baixe o app Vacine.me e coloque a carteira de vacinação de toda família em dia sem precisar sair de casa! Disponível na Google Play e App Store. Prevenir é sempre melhor que remediar.

Related Post

Deixe seu comentário

Posts recentes

vacinação em segurança durante a pandemia
como se vacinar durante a pandemia
o que é HPV?
vacinas-que-evitam-cancer