O mês de maio foi escolhido para alertar e conscientizar as pessoas sobre a gravidade das hepatites no organismo.

Atualmente mais de 500 mil pessoas convivem com o vírus C da hepatite sem conhecimento, segundo o Ministério da Saúde.

Outro fator relevante é que o número de tratamentos da doença caiu significativamente em 2020, devido à pandemia COVID-19. A hepatite C por exemplo apresentou queda de 50%, o que é preocupante, quando se sabe que a hepatite age de forma silenciosa.

Desta forma, decidimos escrever este artigo para ressaltar a importância de se prevenir contra a hepatite!

Aproveite a leitura para entender o que é hepatite, quais os tipos existentes, como são transmitidas e o que fazer para se prevenir:

O QUE É A HEPATITE?

A hepatite é uma degeneração do fígado que pode ser causada por infecções virais, consumo excessivo de álcool e uso abusivo de medicamentos e substâncias tóxicas ao organismo.

No caso das hepatites virais, dos tipos A, B e C, os vírus atacam o fígado quando parasitam suas células.

Já no caso da cirrose que afeta os alcoólatras, a enfermidade é causada pela ingestão frequente de bebidas alcoólicas, visto que, no organismo, o álcool se transforma em ácido nocivo às células hepáticas, causando a hepatite.

A doença também pode ser crônica, quando o fígado fica inflamado por pelo menos 6 meses. Nesses casos, as causas mais comuns são o uso frequente de medicamentos, além dos vírus A e B.

Em casos graves, a hepatite pode trazer complicações sérias, como a cirrose e a insuficiência hepática, tornando sua prevenção extremamente necessária.

PRINCIPAIS TIPOS DA DOENÇA E COMO SE TRANSMITE

HEPATITE A:

O vírus da hepatite tipo A (HAV) é transmitido, principalmente, através de água e alimentos contaminados. Além disso, em alguns casos, a doença pode ser contraída através da prática sexual sem preservativo. O vírus causador da hepatite A fica incubado, geralmente, por 10 a 15 dias, podendo não causar sintomas. Entretanto, em casos sintomáticos, os mais comuns são: febre, náuseas, vômito, mal-estar, icterícia (pele e olhos amarelados), falta de apetite, desconforto abdominal, urina com cor laranja escura e fezes esbranquiçadas. 

HEPATITE B:

O vírus da hepatite tipo B (HBV) é transmitido, geralmente, através de fluidos corporais, sendo suas principais formas de contágio contato sexual, transfusão sanguínea e agulhas contaminadas. A transmissão pode também ocorrer em situações rotineiras no dia a dia, como, por exemplo, no compartilhamento de alicates de unha.

A hepatite B, na maioria dos casos, não apresenta sintomas e só é descoberta posteriormente, podendo evoluir para uma cura espontânea ou para um quadro crônico, causando, possivelmente, cirrose ou câncer de fígado.

HEPATITE C:

Considerado o tipo mais grave, a hepatite C (HVC) é transmitida principalmente por via sanguínea ou no compartilhamento de seringas e agulhas. A transmissão por via sexual é pouco frequente e o vírus não se propaga no convívio social ou na partilha de objetos. Embora possa ser detectado na saliva, é pouco provável a transmissão através do beijo. Este tipo de hepatite é o mais grave. 

Em muitos dos casos, os sinais desse tipo da doença podem não ser notados inicialmente e, geralmente, o diagnóstico só ocorre por meio de exames de sangue para esse vírus ou após vários anos com o surgimento de complicações. Os sintomas da hepatite C, quando aparecem, são muito similares aos da hepatite A.

HEPATITE ALCOÓLICA:

Esse tipo de hepatite pode ser causada pelo uso abusivo de álcool, podendo levar a uma hepatite alcoólica crônica ou desencadear um processo crônico, desenvolvendo cirrose e insuficiências hepáticas.

Os sintomas iniciais dessa hepatite são também muito semelhantes aos da hepatite do tipo A, porém, em casos mais avançados, podem incluir: acúmulo de fluidos no abdômen, convulsões, mudanças de comportamento devido às toxinas liberadas pelo fígado e insuficiência renal e hepática.

HEPATITE MEDICAMENTOSA:

Esse tipo de hepatite é causado pelo uso contínuo de medicamentos, inclusive fitoterápicos, que podem causar lesão no fígado. Vários medicamentos tomados usualmente podem causar essa condição e, portanto, é importante evitar a medicação desnecessária e automedicação.

HEPATITE AUTOIMUNE:

Causada por uma falha no sistema imunológico, a hepatite autoimune é desenvolvida quando são produzidos anticorpos que reagem contra o próprio fígado. A doença é mais comum em mulheres e pode progredir de forma crônica, levando, possivelmente, à cirrose hepática se não tratada adequadamente. Os sintomas dessa condição podem surgir repentinamente e incluem: fadiga, desconforto abdominal, icterícia, aumento do fígado, aparecimento de veias e áreas de vermelhidão na pele, dor nas articulações e redução da menstruação em mulheres.

ESTEATO-HEPATITE:

A esteato-hepatite é uma forma avançada de esteatose hepática, causada pelo acúmulo de gordura no fígado. Tal forma da doença pode acarretar em cirrose, insuficiência hepática e carcinoma hepatocelular.

Como se chega ao diagnóstico da doença

Geralmente as hepatites são descobertas em exames médicos de rotina, porque os sintomas demoram a aparecer e quando aparecem o paciente já está em um estágio avançado da doença.

Sintomas como: tontura, náuseas, olhos amarelados, perda de apetite, vômitos, febre, urina escura e fezes claras, precisam ser investigados assim que surgirem, em qualquer circunstância.

Hepatite tem cura!

Apesar de se tornarem doenças de tratamento mais longo, se diagnosticadas no início, as hepatites têm cura sim. O tratamento adequado e o acompanhamento de um especialista são fundamentais para devolver a saúde plena para os doentes.

Como prevenir-se

Apesar das variações entre as formas de transmissão e da gravidade dos vírus, listamos abaixo os principais cuidados para evitar a contaminação de todas as hepatites, confira:

• Lavar as mãos após ir ao banheiro e antes de comer;

• Lavar bem os alimentos antes do consumo;

• Cozinhar bem os alimentos antes do consumo e evitar comer frutos do mar que estejam mal cozidos ou crus;

• Ter cuidado no manuseio de instrumentos cortantes;

• Adotar instrumentos pessoais, tais como pinça, tesoura de unhas, lâminas de barbear, escovas de dentes etc;

• Usar individualmente seus próprios objetos de higiene;

• Usar preservativo nas relações sexuais;

• Utilizar agulhas e seringas descartáveis;

• Ingerir água limpa;

. Evitar o uso abusivo de álcool e a exposição a outras substâncias tóxicas ao fígado, como determinados medicamentos

. Tomar as vacinas que protegem contra hepatite A e B

Vacina contra Hepatite

A Vacina contra hepatite A + B é a melhor opção para quem ainda não foi imunizado contra esses dois tipos da doença. 

As pessoas infectadas pelo vírus da hepatite A transmitem a doença por muito tempo e a sua eliminação pelas fezes pode contaminar objetos, água e alimentos, o que pode acabar infectando outras pessoas.

Não deixe para depois, se você ainda não se vacinou. A vacina contra a hepatite A + B está disponível na rede de clínicas do Vacine.me, onde você pode comparar preços e agendar a aplicação da vacina na sua casa em apenas 3 minutinhos! Baixe o app disponível na Google Play e App Store. Prevenir é SEMPRE melhor do que remediar! ; )

Related Post

Deixe seu comentário

Posts recentes

vacina tetra viral
vacina hexavalente
o que é peneumonia
vacina pentavalente